Livro de WordPress: ausências, bloqueios criativos e patinhos de borracha

rubber-ducky

Tá demorando pro meu livro sair, né? Mas eu posso explicar. ^^

Bom, desde que comecei a escrever o livro WordPress: de Blogs Pessoais a Grandes Portais em janeiro de 2015 eu tenho mantido uma certa regularidade na escrita, conseguindo conciliar meus compromissos profissionais, assuntos pessoais e a produção do livro em si. Mas durante a elaboração de um trecho do meu tutorial da Parte III eu acabei sendo afetado por um combo de 2 hits que me fez travar e ficar sem conseguir escrever uma linha sequer durante 3 meses.

Como os motivos pra esse tempo perdido acabaram me rendendo uma melhora nos meus conhecimentos sobre WordPress, achei que seria uma boa aproveitar a deixa pra lhes dar uma palhinha do tutorial sobre desenvolvimento de Temas. Esse é o meu pedido de desculpas a todos que estão esperando pelo meu livro pela demora ao terminá-lo.

Bom… tudo começou quando eu estava escrevendo sobre o novo recurso de logotipos personalizados. Antigamente essa funcionalidade era parte dos recursos do plugin Jetpack, mas ele foi adicionado ao núcleo do WordPress a partir da versão 4.5. Eu estava estudando como implementar esse recurso no Tema que oferecerei como material didático (acesse o repositório), seguindo o passo-a-passo descrito no Codex. Só que sabe-se lá porque o logotipo que eu definia não aparecia de jeito nenhum.

Eu salvei o seguinte código no arquivo functions.php do tema:

/* Logo personalizado: functions.php */
function custom_logo_setup() {    
    add_theme_support( 'custom-logo', array(
        'height'      => 150, // Altura do logotipo
        'width'       => 350, // Largura do logotipo
        'flex-width' => true, // Largura flexível do logotipo
    ));
}
add_action( 'after_setup_theme', 'custom_logo_setup' );

Depois, salvei este código no header.php:

/* Logo personalizado: header.php */
function meublog_the_custom_logo() {
    if ( function_exists( 'the_custom_logo' ) ) {
        the_custom_logo();
    }
}

De acordo com o Codex estava tudo certinho, pensei eu. Mas mesmo assim nada do logotipo aparecer. Isso me deixou bem encucado e só aí eu perdi um mês sem conseguir prosseguir na produção do tutorial. É claro que eu podia simplesmente ter deixado quieto por um momento e escrever outros capítulos, mas eu sou meio cabeça-dura nesse aspecto e queria prosseguir na ordem que eu especifiquei.

Passei mais dois meses vasculhando a internet atrás de soluções: Google, Stack Overflow, o próprio Codex e os fóruns de suporte do WordPress e nada… fiquei até desanimado e parei de escrever completamente, sem conseguir resolver o problema, o que me deu um belo de um bloqueio criativo. Depois desse tempo todo eu fui aonde eu deveria ter ido desde o princípio – o grupo WordPress Brasil no Facebook – e pedi ajuda.

Um grande amigo meu, que também faz parte do grupo, me ajudou nessa empreitada lendo o meu código. Na hora ele percebeu a minha falta de atenção e me indicou a solução: eu defini a Função no header.php, mas esqueci de fazer a chamada a esta Função.

/* Logo personalizado: header.php */
function meublog_the_custom_logo() {
    if ( function_exists( 'the_custom_logo' ) ) {
        the_custom_logo();
    }
}

/* Chamada à Função */
meublog_the_custom_logo();

Aí o danado do logotipo apareceu normalmente.

Ok, essa foi a palhinha do que vocês encontrarão no meu livro. O logotipo personalizado – também conhecido como Custom Logo ou Theme Logo – será tratado com mais profundidade no Capítulo 06 da Parte III. Mas você deve estar se perguntando: o que mulesta isso tem a ver com patinhos de borracha?

Rubber Duck Debugging

Depois do tronco de árvore que esse meu amigo me quebrou (dizer que ele apenas me quebrou um galho seria falta de respeito), eu fui bater um papo com ele via Messenger pra agradecer. Aproveitamos pra botar o papo em dia e nessa ocasião ele me apresentou a um conceito da Engenharia de Software que eu ainda não conhecia, chamado Rubber Duck Debugging.

Esse nomezinho maroto é o apelido que os dinossauros de TI deram a esse método de depuração de código: consiste em você arrumar um patinho de borracha e colocá-lo sobre sua mesa de trabalho. E aí, toda vez que você estiver programando e não conseguir encontrar algum trecho de código problemático você lê em voz alta PARA O PATO linha por linha do que escreveu, até perceber onde errou.

Obviamente trata-se de uma zoeira. O patinho de borracha é apenas uma metáfora pra a ajuda externa que você precisa de vez em quando, para encontrar problemas que não consegue enxergar após trabalhar em seu código por muito tempo. É como em revisão de textos literários: com frequência deixamos alguns erros de português passar despercebidos após muito tempo escrevendo. Daí a extrema importância de um revisor pra te dar aquele bendito puxão de orelha. 😉

Progresso do livro

De qualquer forma, fica novamente o meu pedido de desculpas a todos os que estão aguardando pelo meu livro de WordPress. Perdi 3 preciosos meses de trabalho por pura e simples bobeira e por isso é provável que o lançamento do livro fique para o primeiro trimestre de 2017.

Mas ei, vejam pelo lado bom:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Eu já estou quase acabando de escrever! xD

Faltam apenas cinco Capítulos da última das 3 Partes do livro. Além disso, já providenciei a revisão do texto das outras 2 Partes para agilizar ainda mais o trabalho e ao menos tentar recuperar o tempo perdido. Acredito que conseguirei terminar de escrever tudo até o final de setembro desse ano e os meses seguintes serão reservados à revisão do restante do texto, diagramação para a plataforma da Amazon e eventuais últimos retoques no material.

Bom, é isso. Obrigado a todos pela paciência. E não se esqueçam de baixar a amostra grátis do meu livro e de me contar o que acharam dela! Vai me ajudar bastante a entregar um produto de qualidade pra vocês! ^^

Tags: , , , , ,